Estratégias de marketing digital que fazem diferença para sua empresa
Blog

As 10 estratégias de marketing digital

As 10 estratégias de marketing digital

A diferença para sua empresa

Saber como se posicionar nos meios digitais é fundamental para alcançar os resultados esperados

Que ser visto nas redes de busca (leia-se praticamente Google) e nas mídias sociais hoje em dia é fundamental para uma empresa, todo mundo já sabe. O que muita gente ainda não descobriu é: quais são as estratégias de marketing digital que fazem as marcas se destacarem no meio de bilhões de contas e de pesquisas diárias na internet.

E não ter essa resposta não é nenhum crime. Realmente é muito difícil criar uma estratégia correta, coerente com seu negócio e com o público que quer atingir.


Então, quais são as melhores estratégias de marketing digital para minha empresa?

Não existe a melhor ou pior estratégia. Só existem aquelas que não dão certo ou as que são ideais para sua comunicação. Começar sem cometer erros é difícil, mas é o primeiro passo para um caminho de sucesso online.

O pensamento inicial, antes de começar, é lembrar que mais de 70% da população (brasileira) está na internet. São 127 milhões de pessoas conectadas no Brasil, ou seja, é uma responsabilidade enorme aparecer para um mercado deste tamanho. Sendo assim, saiba quem você quer atingir. Definir sua persona ideal é o que faz a diferença em toda a estratégia.

E não adianta só saber de quem você espera o resultado, mas é preciso saber qual é o resultado esperado. Indexar páginas? Aumentar o tráfego do site? Aumentar conversão? Vender mais? Melhorar relacionamento com o cliente? Ser admirada ou melhorar uma reputação? Tudo isso deve estar nos objetivos iniciais do planejamento.

Mas voltando à ideia inicial, dez estratégias podem fazer toda a diferença de desempenho. Vamos a elas!


1) Uso de KPI’s

A importância das métricas em uma campanha é a de entender precisamente quanto de conversão real está acontecendo. Portanto, se as estratégias de marketing digital têm o objetivo de “vendas”, apenas o alcance da publicação não é o bastante para medir suas eficácias.

O importante é acertar no alvo, ou seja, saber quantos leads foram encaminhados para o departamento de vendas, e de preferência saber quantas vendas foram efetuadas – para assim medir a qualidade dos leads. Os Indicadores-Chave de Desempenho precisam ser analisados por um bom profissional de mídia para validar uma campanha ou ação.


2) Trade Marketing

 Alinhado com a área comercial e o plano de negócios da sua empresa, o Trade Marketing tem foco em B2B, ou seja, promove o contato entre você e seus distribuidores parceiros para atingir o consumidor final. Isso significa que as ações estratégicas trabalham o canal de comunicação com varejo, atacado, distribuidor ou foodservice, com a preocupação de fidelizar e realizar parcerias de sucesso entre essas empresas. Isso pode acontecer tanto nos pontos de venda quanto através dos meios digitais.

No âmbito digital, além da preocupação natural com o branding, o Digital Trade Marketing faz uso de plataformas de venda on-line (e-commerces) para atrair o consumidor final e fidelizá-lo, monitorando-o do topo ao fundo do funil. O consumidor atualmente é omnichannel, ou seja, está tanto no canal digital quanto no físico em busca das melhores ofertas, e o Trade, através das estratégias de marketing digital, foca em proporcionar uma experiência completa.


3) Definição de Personas

O marketing digital busca criar ainda mais proximidade com o público alvo da sua empresa, portanto a definição de uma persona ou personas é uma necessidade no processo. Persona é a representação fictícia do cliente ideal, baseado em dados de clientes reais.

Para construí-la da melhor forma possível, é preciso realizar uma pesquisa de persona com um questionário e perguntas específicas, identificar padrões e segmentar os clientes afim de finalmente chegar na persona ideal.


4) Inbound Marketing

O inbound marketing, hoje, é uma das principais estratégias de venda que se conhece. Ele convence o cliente que ainda não sabia que precisava de seus serviços ou produtos.

É com o inbound que se atinge os leads de maneira sutil e muito assertiva. Para usar essa estratégia, é preciso criar conteúdo de qualidade, que gere interesse do lead pelo tema.

O inbound marketing funciona por meio do conceito do funil, com três fases, o topo, o meio e o fundo do funil. No topo, são as pessoas que ainda estão descobrindo o problema. No meio, buscam solução. No fundo, querem conhecer a sua solução.

Por exemplo, ele sabe que está com um vazamento em sua casa, mas ainda não sabe o que pode estar acontecendo. E muito menos ele sabe que pode existir uma solução específica para aquele tipo de problema.


Caso essa pessoa vá procurar na internet sobre algo que está acontecendo em sua casa. No topo do funil, as buscas são como:

“motivos de vazamento”

“por que o encanamento está vazando”

“vazamentos na cozinha”

Sua empresa pode ser a resposta para ela. Se ela gostou do seu conteúdo, provavelmente vai continuar buscando informações sobre o problema. E assim você pode dar novas respostas, no meio do funil:

“encanamento antigo pode ser problema de vazamentos”

“pressão da água pode romper tubulações”


Enfim, você pode ensinar alguns porquês sobre essas situações. Depois, quando o lead já souber o que pode estar acontecendo em sua casa, vai precisar de uma solução. Seu produto e/ou serviço será essa solução e você mostrará isso no fundo do funil.

“adesivo para vazamentos”

“conserto de vazamentos em apenas 1 hora”

“troca de tubulações sem sujeira”


Copywriting

A diferença entre Redação e Copywriting, segundo Paul Hollingshead, um dos fundadores da AWAI (American Writers and Artists Inc) é a seguinte:

“O Copywriting traz um forte CTA, ou seja, uma forte chamada para ação, enquanto a redação publicitária trata-se de um ‘anúncio de venda suave’.”

No inbound marketing, a utilização de Copywriting é um diferencial, por tratar-se de uma estratégia que pede um longo processo de persuasão ao consumidor.

Esses são, claramente, alguns exemplos superficiais. O inbound se faz com muita pesquisa e total entendimento de quem é seu público. As palavras-chave corretas é que vão determinar quais serão essas perguntas, os títulos e os conteúdos de suas campanhas.


5) Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo faz parte da estratégia do inbound marketing, afinal, como já foi falado anteriormente, ela é criada em cima de conteúdos de qualidade.

Seu principal objetivo é o de educar suas personas sobre assuntos pertinentes à sua marca.

Os materiais ricos devem conter informações, explicações, curiosidades, dados, enfim, conteúdos de interesse da persona. Podem ser textos, vídeos, infográficos etc. Há um universo inteiro de conteúdos que pode ser explorado nessa estratégia.

Os materiais podem falar sobre seus produtos, serviços, sobre o segmento em que atua, o mercado de maneira geral ou qualquer coisa que possa educar sua persona.

Com isso, é muito mais fácil qualificar seu lead. Como? Simples, clientes mais bem informados demoram menos tempo para tomar decisões de compra.


SEO

O SEO (search engine optimization – ou otimização de mecanismos de pesquisa, em português) nem deve ser considerado uma estratégia, mas sim uma ferramenta essencial dentro do marketing de conteúdo. Hoje em dia, fazer um conteúdo e não ser visto é perda de tempo de dinheiro. Para ser visto, no entanto, atender aos critérios do SEO é a melhor opção.

O uso de palavras-chave é o começo de tudo, pois ela é o que liga os conteúdos às buscas mais efetuadas no Google. Para isso, é preciso entender quais as buscas que estão relacionadas com sua marca. Esse ponto, porém, é assunto para outro post.


6) Campanhas Patrocinadas

Até agora, só falamos de estratégias que podem ser orgânicas, sem necessidade de investimentos. Mas nem só de tráfego espontâneo vive o marketing digital. Como sempre, a propaganda é a alma do negócio e campanhas pagas, portanto, são necessárias.

Diferente do marketing tradicional, quando era necessário gastar milhões para anunciar na TV, em jornais revistas ou outdoors, a situação agora é diferente.

Muitas empresas ainda gastam muito dinheiro com isso, mas tudo depende de seus objetivos. Se sua empresa for uma loja local, com público específico, não é necessário investir fortunas para chegar até sua persona. Se sua campanha for nacional, no entanto, talvez o budget vai ter que ser maior.

Por outro lado, diferente dos anúncios do passado, quando era quase impossível estimar quantas pessoas foram impactadas por ele, agora as métricas são certeiras. A tecnologia permite saber quantas pessoas viram, quantas foram as conversões, quem é seu cliente e muito mais.

E é por isso que os links patrocinados estão entre as estratégias de marketing digital com maior índice de sucesso. E eles funcionam em vários locais, nas buscas do Google e nas redes sociais.

É preciso haver bastante planejamento e muitos testes para saber qual campanha vai dar mais certo. O fato é que a estratégia funciona. Para atuar neste campo, é preciso entender de Google AdWords, Facebook Ads, Instagram Ads, LinkedIn Ads e assim por diante.


7) Mídias Sociais

O Brasil é o terceiro país do mundo com maior número de pessoas no Facebook. São mais de 130 milhões de usuários. Mais de 60 milhões de brasileiros estão no Instagram e o país é o segundo com mais contas no mundo.

Se esses números não convencem a sua empresa a se fazer presente nas redes sociais, nada mais vai convencê-la.

As FanPages do Facebook e as páginas comerciais e corporativas do Instagram e do LinkedIn são excelentes fontes de dados também. É possível analisar diferentes métricas por elas.


• Dados demográficos dos seus visitantes

• Horários de visitas

• Alcance das publicações

• Pessoas falando sobre isso

• Taxa de cliques (e custo por clique)

• Engajamento

• Rejeição

Alcance pago


Essas são algumas das informações conseguidas com as redes sociais. São dados valiosos para conhecer sua persona, quem ela é, o que ela gosta e como ela consome as informações que você disponibiliza. Lembrando que quanto mais se conhece o público, mais você vende para ele.

Além de tudo isso, é pelas redes sociais que há o maior engajamento com os leads. Ali, cria-se um relacionamento e abre-se um canal de conversa muito rico. Posts direcionados para cada persona e a oportunidade de interação são preciosos, aproveite bem essas possibilidades.

Quanto mais querida você for nas redes, mais provável será de ser a marca lembrada pelos clientes.


Posts

Saber o que postar também faz parte das melhores estratégias de marketing digital. Usar o tom de voz adequado facilita a interação. Saber os horários em que seus clientes estão online, também.

Pense sempre no conteúdo rico para atrair os olhares e os likes de quem ver as postagens. Você pode – e deve - aproveitar todos os materiais criados para fazer novos posts para as redes. Blog posts, vídeos, lives, e-books, webinars, landing pages. Tudo é pauta para abastecer suas mídias sociais.


8) Remarketing

Essa ferramenta é complementar às campanhas patrocinadas. É uma opção do Google Adwords e identifica usuários que visitaram um site buscando por algo específico. Também é conhecido como retargeting.

Em resumo, o remarketing faz com que o usuário fique vendo sua marca em outras situações, fora do seu site. Seu anúncio vai aparecer em redes sociais, nos displays de propaganda do Google etc.

Essa estratégia é muito necessária para ecommerces, fazendo com que o cliente se lembre de sua marca. E também veja condições diferenciadas de compra, por exemplo, além de saber o que você tem para vender.


9) E-mail-marketing

Entre as estratégias de marketing digital, nenhuma outra engaja tanto quanto o e-mail marketing. O motivo é simples: ele é personalizado.

É no e-mail marketing que você vai chamar seu lead pelo nome, em uma conversa direta. E isso graças à abertura que ele deu. Sim, é importante que ele te dê a permissão para lhe enviar mensagens. Portanto, nada de comprar listas de contatos, por mais interessantes que possam parecer.

Essa estratégia é única. Os conteúdos devem ser muito bem segmentados, de acordo com o que cada persona deseja saber, então as listas devem ser separadas de acordo com interesses e características. Quanto mais pessoal for o conteúdo, maior a chance do destinatário abrir a mensagem, de ele ler até o final e de ir ao objetivo traçado pela empresa.

Outras vantagens é que, como em tudo no marketing digital, o e-mail marketing é mensurável. É fácil saber quantos e-mails foram disparados, quantas pessoas receberam, quantas visualizaram e quantas pessoas acessaram o conteúdo. Para maior eficácia, a mensagem deve ter links que levem ao site, ecommerce ou algum local em que ele possa tomar alguma ação.


PS.: a dica de ouro é usar template HTML nos e-mails e não uma imagem única, como “foi moda” por muito tempo. O problema é que muitos servidores têm bloqueio de imagens por questão de segurança. Não vale a pena correr o risco da mensagem nem chegar a seu lead, não é?


10) Landing Pages

Para conduzir os visitantes e apresentar materiais, nada melhor que uma landing page. Com um layout atraente e os gatilhos certos, é certeza de que você ganhará uma assinatura.

Ela é a porta de acesso a muitas coisas boas que você está disponibilizando. Também pode ser o espaço para testes, orçamentos, consultorias ou contato com a empresa. Essas landing pages, porém, têm que ser muito bem divulgadas para que todos cheguem a elas. A melhor maneira é usar e abusar das redes sociais.


Essas são as dez estratégias de marketing digital que vão começar a fazer a diferença para sua empresa ser, enfim, vista e buscada na internet. Com um bom planejamento, acompanhamento constante e interpretação de todas as métricas, as campanhas serão um sucesso.


Solicite um Orçamento